Friday, October 07, 2005

Feministas ou frustradas?

Encontrei, ao fazer zapping, um programa na Sic Mulher, muito no estilo do Saia Justa, do GNT: quatro mulheres (a Ana Marques, a Luísa Castelo Branco, a Solange do Curto Circuito e a Guida Maria) a falar de tudo e todos (geralmente de "gajos", aparentando também haver uma estranha obsessão por "Sex and the City", que parece ser a nova Bíblia da gaja emancipada).

Fiquei chocado quando, ao falarem do preconceito relativamente a mulheres que ficam solteiras por "muito tempo" (aka, após os 30 anos), disseram que os homens não serviam para nada. Mais chocado fiquei eu quando associaram esta ideia ao feminismo.

Epá, francamente, cultivem-se.

O feminismo não é uma ideologia que aponta sexos fracos ou fortes. O feminismo é uma teoria, de cariz mais sociológico (mas não só) que aponta a desigualdade entre géneros.

O feminismo não é coisa de mulheres frustradas.

O feminismo não é coisa para rebaixar os homens.

O feminismo não existe para exaltar as mulheres.

O feminismo é sim uma tentativa de reduzir o preconceito, discriminação e mitos relativamente ao papel da mulher na sociedade. Não implica que os homens sejam tratados como objectos inúteis. Não. Implica que seja reconhecido às mulheres (aquelas que fazem por isso, entenda-se) o seu direito valor.

É também interessante notar que esta lógica de tratar as pessoas por objectos é o que se verificava quando os homens acreditavam que as mulheres eram objectos de segunda categoria.

Que fique esclarecido: quem não quer ser vítima de descriminação, não deverá discriminar.

Mas isso parece ser muito avançado.

Monday, September 26, 2005

Bah!

O que detesto nesta vida é quando somos simpáticos para alguém (nomeadamente ensinando/explicando alguma coisa) e esse alguém age como se nós fossemos uns parvinhos que precisam de ser ensinados.

*sigh* É chato ter de engolir uma coisa que sabemos que está mal.

Mas claro, depois podemos sempre dizer "Ah pois é!" quando essa pessoa percebe que está mal.

Still, it sucks.

Friday, September 02, 2005

Strange little racist world

http://dvorak.org/blog/images/katrina/


Palavras para quê?

Katrina

É um dever sagrado ver isto:

http://www.crooksandliars.com/2005/08/29.html#a4686

Uma lista de organizações a quem se pode dar donativos:

http://instapundit.com/archives/025235.php

Sunday, August 28, 2005

I died and gone to heaven...

Just check this out!

The Penguin Classics Library Complete Collection: More than 1000 of the Greatest Classics


Oh, what I wouldn't do to get my grubby hands on that...

Funny!

Vi agora que o Jason Biggs e a Christina Ricci para além de terem contracenado juntos no filme Anything Else do Woody Allen também contracenaram no filme Prozac Nation. Neste último, eles também têm uma relação amorosa.

Será que o Woody Allen gostou tanto de ver o filme com eles que quis recriar uma relação entre eles no filme dele?

Really makes one wonder


Acabei de ler o "Small Island", da Andrea Levy, um livro que é muito bom (recebeu o Orange Prize em 2004). O tema central do livro, acredito, é o racismo. A maioria do livro centra-se sobre a Segunda Guerra Mundial e como as pessoas da Jamaica também tiveram um papel importante na derrota de Hitler. Contudo, apesar de irem lutar pela Grã-Bretanha (a Jamaica era - é? - uma colónia inglesa) os soldados jamaicanos eram discriminados pela cor da sua pele.

Get this... they're fighting against a guy who only likes stuck-up blondes and persecutes pretty much anyone who doesn't fit in that limitative image... and yet the good guys (i.e., Americans and British) also have their own personal prejucides.

Realmente fez-me pensar. É incrível o que as pessoas fazem umas às outras só por serem de "cores" diferentes. Vejamos... um negro/a não pode andar nos passeios públicos se no sentido contrário vier alguém britânico, tem de se desviar para a estrada. Isto lembrou-me uma cena do filme The Pianist, em que um judeu já velhote tinha de se desviar para a estrada (molhada) porque oficiais alemães vinham no sentido contrário. E o passeio era largo, mas nem que não fosse...

Enfim. Só me fez pensar que as pessoas que nós assumimos como serem "the good guys" podem não ser assim tão bonzinhos assim.

Recomenda-se a leitura.

Thursday, July 07, 2005

Some shallow considerations

Não sei porquê, mas tive 3 conversas sobre maquilhagem esta semana. E não, nunca usei maquilhagem.
Tudo começou quando estava a fazer zapping (sim, era mesmo zapping, não vejo novelas) e deparei com a nova novela da TVI, "Mundo Meu", ou coisa assim. É uma história de uma empregada que é buéda rebelde e, claro, o patrãozinho apaixona-se por ela, e claro, o patrãozinho tem uma namorada pseudo-noiva que é uma víbora do caraças; mas prontos, pá, vocês entendem, é uma brasa a mulher, e sempre deve ser boa na cama, né? Enfim, tudo isto é cliché, e só me lembra a outra novela da TVI, "Anjo Selvagem".
Mas não estou aqui para dizer mal das novelas. Daniel, concentra-te.
Estou aqui para reclamar da maquilhagem usada nas novelas. Sou só eu que acho estranho uma empregada, supostamente pobre, não ter uma pontinha de acne? Uma pontinha de pele seca? Ter aquela facezinha como se tivesse saído de um spa?
Epá... é que eu até saio de casa, e embora as pessoas não sejam monstros acnentos ou whatever, também não têm a pele perfeitinha que aquela empregada que não tem onde cair morta exibe. Ou será isto uma nova representação da pobreza do século XXI? "Somos pobres, mas em casa de respeito não falta a base"? Huh?

No dia a seguir vejo (novamente em zapping... isto quererá dizer alguma coisa, o eu andar em zapping e só apanhar novelas?) uma gaja brasileira que coitada foi drogada pelo marido, bla bla bla (isto é o suposto drama da história e whatever) mas que acorda com aquela cor rosa por cima dos olhos... epá, isto é normal? Depois queixem-se que, ó coitados de nós, que estamos numa sociedade que só liga à aparência, e ó diabos, e blah blah blah. Mas é claro! Se nós nem conseguimos suportar a ideia de ver alguém com olheiras, quando saem da cama!

Valha-me pelo menos a mim que numa série que estou a seguir (Battlestar Galactica, comprem os DVD) aquilo tem tudo olheiras, aquilo tem tudo pontinhas de acne e o actor principal até teve um grave caso de acne que lhe provocou erupções permanentes na face. Sempre é mais real.

Tuesday, June 28, 2005

Tom Cruise mata Oprah|

http://tcruiseko.ytmnd.com/


:P

Wednesday, June 22, 2005

Qualquer semelhança com a realidade não é pura coincidência

Eis um dos momentos altos do meu dia de estágio:

Eu: "Esse é o caso da lésbica?"
Ela: "Pá, não digas isso:"
Eu: "Porquê?"
Ela: "Ela não é lésbica, é homossexual."

Evento ocorrido hoje relativo a processo de uma utente lésbica (perdão, homossexual).

"Ela" disse-me que era preciso uma grande abertura de mente para lidar com estes casos.

"Ela" é uma estudante de psicologia, no 5º ano, sendo que só lhe falta acabar o estágio e monografia para ser licenciada.

Por isso é que eu reclamo que durante 5 anos de curso, nunca tive uma única aula sobre sexualidade. Depois saem-me destas...